Palavra de especialista
Pediatra dá dicas de como reconhecer infecção urinária em bebês Publicado: 07 Março 2021 | Última Atualização: 25 Fevereiro 2021

Principais sinais e causas de uma doenças que ataca mais as meninas

A infecção urinária em crianças é mais comum do que se imagina. Quando falamos em crianças do sexo feminino, as chances ainda aumentam em cerca de cinco vezes, dependendo da idade, se comparados aos meninos. E identificar os sinais nas crianças, principalmente os bebês que ainda não falam, é um desafio para os pais. Para ajudar, a pediatra Felícia Szeles traz algumas informações importantes que facilitam reconhecer de forma mais rápida os bebês que estão sofrendo com isso.

Principais sinais

Como os bebês ainda não sabem se expressar direito, é preciso ficar bem atento ao comportamento: mudança repentina de humor; irritação incomum; dificuldade para dormir; vômitos e diarreia; baixo ganho de peso e até perda de interesse na hora amamentação. Vale ficar alerta também para ver se a quantidade de xixi aumentou, se o cheiro está diferente e se ele demonstra algum incômodo ao urinar.

“A febre é um sinal muito importante e sempre deve ser avisada para o Pediatra. Não são raras as crianças que apresentam apenas febre, sem outros sintomas aparentes. Nestes casos, a conduta é sempre examinar a criança e, quando necessário, pedir exames para conseguir entrar com a medicação mais indicada e de forma ágil, evitando complicações decorrentes da infecção”, explica Dra. Felícia.

Principais causas

Nos três primeiros meses de vida, a principal causa são malformações e obstruções do trato urinário e os meninos podem apresentar uma maior tendência pelo fato da glande estar coberta por uma pele (fimose), que dificulta a higienização adequada na região genital. Depois dessa fase, as meninas começam a ter uma chance maior, principalmente por possuírem uma uretra mais curta e uma proximidade maior com a região anal, o que facilita uma contaminação pelas bactérias presentes nas fezes. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a infecção na urina em crianças de até dois anos normalmente está associada a malformações do aparelho urinário, e por isso, sempre que uma criança pequena apresenta uma a infecção, é necessário uma avaliação mais completa com exames de imagem para analisar rins e vias urinárias. Outro fator que merece atenção é a higiene: as bactérias que vêm do cocô são os micro-organismos mais frequentes nas infecções urinárias , e às vezes, com uma boa orientação de higiene, evitamos muitos casos.

“Em caso de recorrência, ou presença de malformações do trato urinário é sempre bom encaminhar para uma avaliação com Nefrologista para um acompanhamento mais adequado”, completa a médica.

Dra. Felícia Szeles
Formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC - Campinas), é especialista em Pediatria e Alergia e Imunologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.
Pediatra nas áreas de Puericultura, Infância e Adolescência, também realiza acompanhamento pediátrico pré-natal em gestante. Como Alergista, atua com foco no atendimento infantil.